EDUCAÇÃO

2.3 A Importância do Conhecimento Geográfico para o Exercício da Cidadania

(Parte do trabalho de conclusão do curso de geografia)

A geografia é uma ciência que estuda, analisa e tenta explicar ou conhecer o espaço geográfico, concebido como um produto histórico e social das relações que se estabelecem entre a sociedade e o meio circundante. ao analisar o espaço geográfico em conjunto com o aluno o professor fornece ao aluno as condições para que seja realmente construída a sua cidadania.

Mas porque o conhecimento do espaço geográfico instrumentaliza o aluno para cidadania? O exercício da cidadania pressupõe a participação política de todos na definição de rumos que serão assumidos pela nação e que se expressa não apenas na escolha de representantes políticos e governantes, mas também na participação em movimentos  sociais, no envolvimento com temas e questões da nação e em todos os níveis da vida cotidiana. Para participar nas decisões políticas nacionais o cidadão precisa ter uma visão integrada do espaço, pois o conhecimento do espaço possui fundamental valor estratégico nos embates políticos.

Para Lacoste "é necessário saber pensar o espaço, para saber nele se organizar, para saber nele combater" (apud MORAES, 1985, p. 116). Vê-se, portanto, que não dá para dissociar o conhecimento do espaço geográfico do exercício da cidadania. Uma vez que é no espaço que a cidadania se efetiva. Contudo para que a cidadania seja efetiva não basta conhecer o espaço é preciso lutar para apropriar-se desse espaço. Segundo Diamiani (2003, p. 52) "o cidadão se definiria como tal, quando vivesse a condição de seu espaço enquanto espaço social, reconhecendo sua produção e se reconhecendo nela". Daí a importância do saber pensar o espaço.

Para que o aluno que está sendo preparado para exercer sua cidadania saiba pensar o espaço a geografia estudada por esse aluno deve permitir que ele se perceba como participante do espaço que estuda, onde se fenômenos que ali ocorrem são resultados da vida e do trabalho dos homens e estão inseridos num processo de desenvolvimento. Não é aquela geografia que mostra um panorama da terra e do homem, fazendo uma catalogação enciclopédica e artificial, em que o espaço considerado e ensinado é fracionado e parcial, e onde o aluno é neutro, sem vida, sem cultura e sem história.

Além de reconhecer sua participação na construção do espaço geográfico o aluno também, para saber pensar o espaço,  precisa saber ler esse espaço (PEREIRA, 1999). Para  isso o professor precisa "alfabetizar o aluno em geografia" (KAERCHER, 2000, p. 12) para que ele não só se aproprie do vocabulário específico desta área de conhecimento, mas, sobretudo, se capacite para a "leitura-entendimento do espaço geográfico" próximo ou distante.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

DAMIANI, Amélia Luisa. A geografia e a construção da cidadania. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri (org). A geografia na sala de aula. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2003. (p. 50-61).

KAERCHER, Nestor André. A geografia e o nosso dia-a-dia. In: CASTROGIOVANNI, Antonio Carlos; CALLAI, Helena Copetti; KAERCHER, Nestor André. Ensino de Geografia: práticas e textualizações no cotidiano. Porto Alegre: Ed. Mediação, 2000. (p. 11 - 16)

MORAES, Antonio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. 4. ed. São Paulo: HUCITEC-VIP, 1985.

PEREIRA, Diamantino. A dimensão pedagógica na formação do geógrafo. In: Terra Livre. São Paulo: Associação de geógrafos Brasileiros - AGB. n° 14, 1999. p 41 - 47.